Colares, fios, brincos, pulseiras e pendentes com pedras semipreciosas, gemas e cristais, em prata e pedras naturais coloridas!

Esmeralda a Opala

Esmeralda

Dureza de Mohs: 7,5 -8,0.

Composição química: Alumínio, berilo, silicone, enxofre, parcialmente zinco, fósforo, ferro.

Cor: Verde-claro, verde-escuro, verde-amarelado, transparente e translúcido.

Proveniência: Índia, Paquistão, Austrália, EUA, África do Sul, Brasil.

Formas existentes: Pedra bruta, lapidada, pingente.

Crenças e mitos: As Esmeraldas estão desde o início do pensamento humano entre as pedras preciosas mais desejadas e valiosas. Os gregos chamavam-na “a pedra do amor”, da confiabilidade e fidelidade. No Egito, Cleópatra enfeitava-se com as mais belas Esmeraldas, pois acreditava-se que nelas residia a eterna beleza da Vênus e que rejuvenesce a aparência. Também os incas e astecas honravam as Esmeraldas, acreditavam que se tratavam de pedras sagradas. As Esmeraldas exerciam em quase todas as culturas e casas reais um papel muito importante e eram consideradas como pedras de adorno e curativas.

Chacras: Cardíaco: localiza-se no coração, a sua cor é verde, dá energia ao corpo físico e melhora a corrente sanguínea.

 

Flurita

Dureza de Mohs: 4.

Composição química: Cálcio, Fluorita com cromo-ferro, enxofre, cobre, vestígios de manganês.

Cor: Incolor, vermelha, alaranjada, amarela, branco-amarelada, rosa, violeta, branca, vermelha-violeta, verde, azul-violeta, translúcida.

Proveniência: Austrália, Botswana, Congo, Rússia e África do Sul.

Formas existentes: Espanha, México, EUA, China, Austrália.

Crenças e mitos: A Fluorita, com o seu fantástico arco-íris, vem sendo honrada desde tempos remotos, como sendo pedra de adorno e de cura. Na antiga China, foi usada como condutora da sorte, que protegia contra a magia negra e pensamentos de suicídio. Como traz dentro de si partes de outras pedras, é considerada a pedra da intuição, do amor, da sorte e da confiança.

Chacras: Sétimo

 

 

Granada

Dureza de Mohs: 8.

Composição química: Quartzo, Apatita.

Cor: Vermelho Escuro, Cinzento, Preto

Proveniência: Em todos os continentes.

Formas existentes: Pedra bruta, lapidada

Crenças e mitos: A Granada é conhecida desde os primórdios da memória humana devido aos seus efeitos terapêuticos e beleza. Teve uma posição de grande destaque entre quase todos os povos. Faz parte das pedras que desde a Antiguidade eram apreciadas como origem da vida. Diz a tradição que a Arca de Noé foi iluminada por uma grande Granada. O nome Granada advêm do Latino “Granatus”, que significa “grão”, segundo outras tradições foi a mesma descrita como “Carfunculus” que significa “a pedra que luz”.

 

 

Jade

Dureza de Mohs: 6,5 -7.

Composição química: Silicato de alumínio e sódio.

Cor: verde-garrafa; verde-escuro; branco

Proveniência: Birmânia; Tibete; Guatemala; China; Japão; EUA

Formas existentes: Pedra bruta, lapidada, pêndulo, esfera, ovo, pingente, cordão.

Crenças e mitos:As propriedades comuns a todas as duas espécies conhecidas como jade inclue a sua habilidade de melhorar a própria existência, ajudando a pessoa a libertar-se de pensamentos e de energias negativas, pois acalma a mente e faz com que as tarefas cotidianas pareçam mais fáceis. É também uma pedra de proteção, deixando o seu portador livre de problemas. Ë considerado como a essência concentrada do amor. Traz o equilíbrio entre o Yin/Yang. Intensifica a capacidade de expressão.

Chacras: Quarto.

 

 

Jaspe

Dureza de Mohs: 7.

Composição química: Óxido de sílica, dióxido com ferro, manganês, enxofre, traços de magnésio.

Cor: Vermelho, vermelho-escuro, opaco.

Proveniência: Brasil, África do Sul, Índia, Austrália, Madagáscar.

Formas existentes: Pedra bruta, lapidada

Crenças e mitos: O Jaspe-Vermelho fazia parte das pedras mais valiosas da Antiguidade e é até mesmo mencionado nas revelações da Bíblia. Entre os judeus, o Jaspe tinha um significado muito importante. Acreditavam que o Jaspe era a primeira pedra fundamental da nova Jerusalém. Os antigos gregos acreditavam que o Jaspe assegurava ao seu usuário harmonia interior e um matrimônio feliz. As mulheres acreditavam que o Jaspe as livrava das moléstias femininas e lhes proporcionava uma gravidez harmoniosa. Os antigos romanos usavam o Jaspe e acreditavam que afastava demônios e espíritos malignos.

Chacras: Primeiro.

 

 

Kunzita

Dureza de Mohs: 6.

Composição química: Sílica, alumínio.

Cor: Violeta, rosa.

Proveniência: Afeganistão, Brasil, EUA, Madagáscar.

Formas existentes: Pedra bruta, lapidada, cordão.

Crenças e mitos: A Kunzita deve o seu nome ao joalheiro Kunz, que a descobriu em 1903. Esta pedra tem uma grande resistência ao calor e à estabilidade. Os antigos gregos usavam-na como para-raios, diante dos perigos, poderes negros e moléstias. Acreditavam que a Kunzita reunia todos os poderes entre o céu e a terra e transmitia ao seu possuidor amor grande e verdadeiro.

 

 

Lápis-lazúli

Dureza de Mohs: 5-6.

Composição química: Sódio, alumínio, sílica com cálcio, ferro, magnésio, enxofre, zinco, cobalto

Cor: Azul-real, azul-esverdeado, azul-claro, azul-escuro, parcialmente com inclusões douradas, opaca.

Proveniência: Chile, Afeganistão, Birmânia.

Formas existentes: Pedra bruta, lapidada, esfera, ovo, pingente, obelisco, pirâmide, cordão.

Crenças e mitos: A tradição do Lápis-Lazúli remonta os primórdios da história humana. O seu nome vem da palavra arábica “azul” (céu) e da latina “lápis” (pedra). As escavações informam-nos que o Lápis-Lazúli já vinha sendo empregado há cerca de 5.000 anos a.C. na fabricação de correntes e adereços. Os homens acreditavam que toda a força divina e a vida infinita estivessem reunidas no Lápis-Lazúli. Os gregos, romanos e indianos empregavam-no como pedra de proteção. Também foi apreciado como pedra da amizade, favorecendo os relacionamentos entre as pessoas.

Chacras: Terceiro olho ou frontal: transforma a negatividade em pontos positivos, traz relaxamento, ajuda a desenvolver os poderes da mente.

 

 

Larimar

Dureza de Mohs: 4,5-5.

Composição química: Silicato de sódio e cálcio hidratado.

Cor:Azul celeste, azul claro, riscos brancos às vezes pretos ou avermelhados.

Proveniência: República Dominicana.

Formas existentes: Pedra bruta, lapidada

Crenças e mitos: É uma pedra profundamente ligada à energia dos golfinhos, à inteligência pura e intuitiva, simples e inocente. Diz a lenda que as piscinas e fontes de Atlântida eram revestidas de Larimar, e por isso mesmo também é conhecida como a mármore de Atlântida. Experimente usar Larimar junto dos golfinhos e prepare-se para uma agradável surpresa.

Chacras: Quinto, quarto.

 

 

Malaquita

Dureza de Mohs: 3,5-4.

Composição química: Cobre, carbonato de cromo, vestígios de zinco e de cálcio.

Cor: Verde-clara, verde-negra, esverdeada, opaco.

Proveniência: Zaire, Zâmbia, EUA.

Formas existentes: Pedra bruta, lapidada, esfera, ovo, pingente, obelisco, pirâmide, cordão.

Crenças e mitos: As origens da Malaquita remontam há três mil anos a.C. Os egípcios honravam-na como pedra da esperança, sorte e harmonia nas parcerias. Através da sua forte coloração verde, atribuiu-se a Malaquita, por milênios, uma alta posição entre as pedras curativas e de adorno.

Chacras: Cardíaco: ajuda a libertar de traumas de vidas passadas, protege contra ataques, estimula a imaginação e ajuda a expressar os sentimentos.

 

 

Olho-de-gato

Dureza de Mohs: 7.

Composição química: Dióxido de silício.

Cor: Brilho castalho avermelhado

Proveniência: Austrália, África do Sul, EUA, Brasil.

Formas existentes: Pedra bruta, lapidada, pingente, cordão.

Crenças e mitos: O Olho-de-gato, (Olho de Tigre Vermelho) é uma fascinante variedade de olho-de-tigre e pertence á família dos quartzos. As inclusões anfibólicas proporcionam a esta pedra o seu típico brilho vermelho.

 

 

Olho de Tigre

Dureza de Mohs: 7.

Composição química: Silicato, dióxido com ferro, enxofre, manganês, traços de cromo.

Cor: Amarelo-dourado até castanho-dourado, opaco.

Proveniência: África do Sul, Austrália, Birmânia, EUA, Índia.

Formas existentes: Pedra bruta, lapidada, pingente, cordão.

Crenças e mitos: As origens do Olho-de-Tigre remontam ao inico da era de Cristo. Os árabes e os gregos acreditavam que o Olho-de-Tigre fazia com que o seu portador tivesse um temperamento alegre e lhe aguçava os sentidos. Protegia contra influências negativas e fortalecia as amizades. Como pedra de proteção e curadora, o Olho-de-Tigre continua a merecer, hoje em dia, um grande apreço.

Chacras: Plexo Solar: localiza-se abaixo do coração, de cor amarelo e age na digestão, emoções e metabolismo.

 

 

Opala

Dureza de Mohs: 6.

Composição química: Dióxido de silício hidratado.

Cor: Branco, cinzento, azul, verde, alaranjado, negro em parte opalescente.

Proveniência: Austrália, África do Sul, Zimbabué, Brasil e EUA

Formas existentes: Pedra bruta, lapidada, pingente, cordão

Crenças e mitos: O nome Opala é oriundo do hindu antigo sânscrito "Upala" (pedra preciosa). A coloração da Opala deve-se às bolinhas de água armazenadas no interior da pedra e que brilham nas mais belas cores quando expostas à luz. A Opala era diretamente associada aos deuses e à criação, e diz-se que recebeu uma parte de todas as pedras, o verde da Esmeralda, o violeta brilhante da Ametista, o vermelho do Rubi, o azul da Safira e a luz ardente do enxofre. Os antigos gregos e romanos chamavam-na de "opalus" e acreditavam poder prever o futuro através dela, que também protege o usuário de todas as doenças. As Opalas negras são pedras de poder para os mágicos!

 

Naturabela, Pedras com Alma